www.noticiasdecoura.com
noticiasdecoura@gmail.com
Tel.Fax 251 782 643

Edição on-line

 
   
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
   
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
   
 


::. Destaques



COLUNA PRIMA

O “Notícias de Coura” completa com esta edição sete anos de vida. De 10 de Junho de 2003 até hoje, inovámos, trabalhámos com prazer e fizemos deste o jornal verdadeiramente livre e plural de Paredes de Coura. Quinzenalmente emocionamo-nos ao sentirmos que somos o jornal preferido do leitor, redobrando, a cada dia que passa, a entrega e dedicação a este projecto.

Campanhas difamatórias e agressões físicas não nos fizeram mossa.
Olhamos estes sete anos com satisfação e, sem ponta de arrogância, com a noção de dever cumprido diante daquilo que o leitor espera de nós.
Sabemos, no entanto, que o mais importante é sempre o que está para vir. É o futuro que nos interessa verdadeiramente.
Quem gasta o presente a olhar para trás não vai longe, bem se sabe.
O “Notícias de Coura” é um desafio que se renova a cada edição. Com trabalho e empenho, promessa única que deixo ao leitor.
Por mais que isso custe a quem perde o sono com o sucesso do NC, o encontro fica desde já marcado, caro leitor, para a próxima edição.

Nota – Neste último ano de vida, o NC viu partir um dos seus colaboradores, Manuel Gonçalves, que morreu no dia 19 de Dezembro de 2009. Um exemplo de estatura moral e intelectual em vida, Manuel Gonçalves foi também um exemplo na hora da morte ao doar o corpo ao Instituto de Medicina Legal do Porto, para apoio à ciência. Julgo de inteira justiça recordá-lo, neste espaço, no momento em que o NC comemora mais um ano de existência.
“Manuel Gonçalves era um dos melhores, senão o melhor de todos nós, os que o conhecemos há mais de vinte anos. Inteligente, perspicaz, culto de nos fazer inveja, frontal, daquela frontalidade difícil que sabe evitar a má-criação, corajoso e homem de lutas, pela verdade, pela liberdade, contra a santa hipocrisia instalada por aí a eito. Manuel Gonçalves nunca escondeu nem titubeou na hora de lutar pelas suas convicções, criou por isso alguns anticorpos (‘é o lado para onde durmo melhor’, dizia) que na hora da sua morte são bem capazes de lhe chorar lágrimas de crocodilo”, assim escreveu o NC no dia 22 de Dezembro de 2009.

[22-06-2010 - 09:55] [Manuel Tinoco]

::. Mais Notícias desta Secção
Total Notícias: 4
 

MARCA DE SUCESSO
João Carvalho não esconde satisfação pelo sucesso do Paredes de Coura 2014 “Foi o melhor ano de sempre, a edição quase perfeita” “Festival ganhou uma nova alma o que facilita a organização do próximo ano” João Carvalho, o porta-voz da Ritmos faz o balanço da melhor edição de sempre do festival de Paredes de Coura nas páginas do Notícias de Coura. Para além do êxito mediático e popular, o promotor courense mostrou também a satisfação porque o retorno financeiro para a empresa, esteve a par com um sucesso sem precedentes, quer para o comércio local, quer para a divulgação do concelho. Numa edição que fica marcada por iniciativas inovadoras como os quatro dias de subida do festival à vila, o alargamento de desconto nos bilhetes para os residentes e o aumento das condições de comodidade para albergar os visitantes no recinto através da instalação de bungalows, João Carvalho realçou a inclusão de José Eduardo Martins no grupo que organiza o Paredes de Coura. Entre outros dados sublinhados e que merecem uma leitura atenta desta entrevista, destaque ainda para a relação de cumplicidade existente entre município e Ritmos, que promete fazer crescer ainda mais o evento que deu expressão ao concelho.

[16-09-2014 - 15:24] [José Miguel Nogueira]


LER MAIS

DE PASSAGEM PELO FESTIVAL PAREDES DE COURA
ANTÓNIO COSTA REPROVA ENCERRAMENTO DO TRIBUNAL
Sendo público o apoio que Vítor Paulo Pereira consagra a António Costa, actual presidente da Câmara de Lisboa e candidato a líder do PS, com primárias marcadas para o último domingo de Setembro, o adversário de Seguro esteve no Festival Paredes de Coura. Foi com surpresa que os festivaleiros viram António Costa chegar ao Taboão, ladeado por Vítor Paulo Pereira e pelos courenses organizadores do Festival, entre eles o antigo governante social-democrata José Eduardo Martins. Antes ainda de manifestar o seu apreço pelo Festival (“uma referência não só nacional como internacional”, admitiu), António Costa mostrou-se preocupado com o encerramento do Tribunal de Paredes de Coura. “A justiça deve ser feita no local onde os factos ocorrem”, defendeu Costa, no dia 20 de Agosto, prestes a deixar ao anfiteatro natural do Taboão, repleto de música e festivaleiros.

[16-09-2014 - 15:34] [Vaz de Sousa]


LER MAIS

Levantamento exaustivo da etnografia de paredes de coura
CANCIONEIRO COURENSE apresentou-se a 10 de agosto
Paredes de Coura, concelho do coração do Alto Minho, cheio de tradições e belezas sem fim, terra fértil e rica, foi considerada em tempos celeiro do Minho, hoje virada para o futuro, moderniza-se e investe para fixar os jovens à terra. No entanto, não esquece as suas gentes, as suas tradições, os seus costumes, e foi nesta busca por tudo aquilo que nos orgulha, que um grupo de aficcionados da genuína etnografia courense, resolveu ir às raízes do nosso povo e mostrar às gentes que nos visitam e também aos que andam por cá, quiçá mais distraídos, como viviam os nossos antecessores courenses nos finais do séc. XIX.

[16-09-2014 - 15:50] [Paula Pereira]


LER MAIS

FIM DA COMARCA 139 ANOS DEPOIS
MINISTRA DA JUSTIÇA TIRA COURA DO MAPA
Desde 1 de Setembro que Paredes de Coura não tem Tribunal. O novo mapa da ministra Paula Teixeira da Cruz deixou de contar com a comarca que havia sido criada em 1875, correspondendo aos anseios e à luta da nossa gente desses heróicos tempos. Acaba assim o importante simbolismo que significava a ligação do concelho a Lisboa. Luto em Coura, pois. Centenas de processos a serem transportados para Valença, funcionários a receberem transferência para Viana, Ponte de Lima e Valença, povo de Coura a ter o acesso dificultado à Justiça, ou seja menos Justiça – menos democracia. Eis o infeliz retrato dos dias que correm.

[16-09-2014 - 15:53] [JOSÉ CUNHA]


LER MAIS

 

:: Opinião
quotidianos
A designação Paredes de Coura foi consagrada pela Lei, de 16 de abril de 1875, instituinte de trinta comarcas a nível nacional, cujos contornos políticos foram descritos na monografia Alto Minho – Paredes de Coura. Aquando do 35º aniversário da criação da comarca, foi publicado o opúsculo Consagração, com textos de muitos courenses, incluindo Narciso Alves da Cunha, Manuel da Cunha Brandão, Bernardo Chouzal e Casimiro Rodrigues de Sá, entre outros.
LER MAIS
:: Opinião
O FUTURO DE PORTUGAL AINDA É POSSÍVEL
Persistindo numa política errada e errática, em boa parte subordinada a uma política da União Europeia igualmente errada e errática, de todo desajustada aos grandes princípios do seu mentor e da sua criação, Jean Monet – princípios que entre outros aspectos fundamentais defendiam a valorização do factor social e humano, sem descriminação dos países que a iriam enformar, pequenos ou grandes, ricos ou pobres – o nosso actual Governo parece empenhado em levar ao limite o empobrecimento do nosso país.
LER MAIS
:: Opinião
Chega de subtrair!
Em apenas 30 anos, o número de crianças em Paredes de Coura caiu 60 por cento. Os números frios do Instituto Nacional de Estatística não deixam margem para dúvidas: em 1981 existiam no nosso concelho quase 2900 jovens com idades entre os 0 e os 14 anos. Em 2011 (data dos últimos censos), esse número ficava-se pelos 1130. Hoje serão certamente menos.
LER MAIS
:: Opinião
TUAS DORES QUE SÃO NOSSAS
Quando chegaste à minha beira trazias no rosto todo o luto do mundo. Abraçaste-me num aperto longo e transmissor de um desespero profundamente triste a correr em todo teu ser. - É hoje… - disse eu à falta de mais palavras. Acenaste que sim com a lentidão do réu a subir para o cadafalso. Teus olhos choravam tristezas sem fim. E, roído por uma dor súbita, peguei em tua mão e apertei-a com força na alma o desejo de te levar a força de que carecias. Pedi ao empregado duas aguas sem gás frescas, querendo, com a bebida, refrescar o inferno de frustração que nos queimava o corpo e a mente.
LER MAIS