www.noticiasdecoura.com
noticiasdecoura@gmail.com
Tel.Fax 251 782 643

Edição on-line

 
   
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
   
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
   
 


::. Destaques



COLUNA PRIMA

O “Notícias de Coura” completa com esta edição sete anos de vida. De 10 de Junho de 2003 até hoje, inovámos, trabalhámos com prazer e fizemos deste o jornal verdadeiramente livre e plural de Paredes de Coura. Quinzenalmente emocionamo-nos ao sentirmos que somos o jornal preferido do leitor, redobrando, a cada dia que passa, a entrega e dedicação a este projecto.

Campanhas difamatórias e agressões físicas não nos fizeram mossa.
Olhamos estes sete anos com satisfação e, sem ponta de arrogância, com a noção de dever cumprido diante daquilo que o leitor espera de nós.
Sabemos, no entanto, que o mais importante é sempre o que está para vir. É o futuro que nos interessa verdadeiramente.
Quem gasta o presente a olhar para trás não vai longe, bem se sabe.
O “Notícias de Coura” é um desafio que se renova a cada edição. Com trabalho e empenho, promessa única que deixo ao leitor.
Por mais que isso custe a quem perde o sono com o sucesso do NC, o encontro fica desde já marcado, caro leitor, para a próxima edição.

Nota – Neste último ano de vida, o NC viu partir um dos seus colaboradores, Manuel Gonçalves, que morreu no dia 19 de Dezembro de 2009. Um exemplo de estatura moral e intelectual em vida, Manuel Gonçalves foi também um exemplo na hora da morte ao doar o corpo ao Instituto de Medicina Legal do Porto, para apoio à ciência. Julgo de inteira justiça recordá-lo, neste espaço, no momento em que o NC comemora mais um ano de existência.
“Manuel Gonçalves era um dos melhores, senão o melhor de todos nós, os que o conhecemos há mais de vinte anos. Inteligente, perspicaz, culto de nos fazer inveja, frontal, daquela frontalidade difícil que sabe evitar a má-criação, corajoso e homem de lutas, pela verdade, pela liberdade, contra a santa hipocrisia instalada por aí a eito. Manuel Gonçalves nunca escondeu nem titubeou na hora de lutar pelas suas convicções, criou por isso alguns anticorpos (‘é o lado para onde durmo melhor’, dizia) que na hora da sua morte são bem capazes de lhe chorar lágrimas de crocodilo”, assim escreveu o NC no dia 22 de Dezembro de 2009.

[22-06-2010 - 09:55] [Manuel Tinoco]

::. Mais Notícias desta Secção
Total Notícias: 0
 
 

:: Opinião
Quotidianos
Com a proclamação da República, em 1910, Narciso Alves da Cunha deixou, na sua condição de monárquico, com um pé bem dentro da República, a presidência da câmara municipal, terminando um período de notáveis autarcas. Das intermitências republicanas surgiram muitos nomes que presidiram aos destinos do concelho de Paredes de Coura, mas é difícil eleger um deles que tenha incorporado uma mudança signifi cativa. Com o regime do Estado Novo, de 1926 a 1974, o presidente da câmara virou correia de transmissão política, sendo o resultado de uma escolha governamental, na óbvia adequação dos objetivos e práticas do regime político corporativo ao concelho.
LER MAIS
:: Opinião
A terra que me enche a alma
Quando era miúda, ouvia frequentemente dizer que Portugal integrava o grupo dos países ricos. No entanto, era o país mais pobre dos países ricos.
LER MAIS
:: Opinião
Recordar Auschwitz
A 27 de Janeiro de 1945 o mundo descobria, entre incrédulo e horrorizado, o campo de Auschwitz e os crimes inomináveis que lá se haviam praticado. Por maior e mais cruel que possa ser a bestialidade humana, ainda hoje, volvidos 70 anos, nos é difícil acreditar que se pudesse ter ido tão longe nas atrocidades cometidas sobre os judeus.
LER MAIS