www.noticiasdecoura.com
noticiasdecoura@gmail.com
Tel.Fax 251 782 643

Edição on-line

 
   
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
   
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
   
 


::. Destaques



COLUNA PRIMA

O “Notícias de Coura” completa com esta edição sete anos de vida. De 10 de Junho de 2003 até hoje, inovámos, trabalhámos com prazer e fizemos deste o jornal verdadeiramente livre e plural de Paredes de Coura. Quinzenalmente emocionamo-nos ao sentirmos que somos o jornal preferido do leitor, redobrando, a cada dia que passa, a entrega e dedicação a este projecto.

Campanhas difamatórias e agressões físicas não nos fizeram mossa.
Olhamos estes sete anos com satisfação e, sem ponta de arrogância, com a noção de dever cumprido diante daquilo que o leitor espera de nós.
Sabemos, no entanto, que o mais importante é sempre o que está para vir. É o futuro que nos interessa verdadeiramente.
Quem gasta o presente a olhar para trás não vai longe, bem se sabe.
O “Notícias de Coura” é um desafio que se renova a cada edição. Com trabalho e empenho, promessa única que deixo ao leitor.
Por mais que isso custe a quem perde o sono com o sucesso do NC, o encontro fica desde já marcado, caro leitor, para a próxima edição.

Nota – Neste último ano de vida, o NC viu partir um dos seus colaboradores, Manuel Gonçalves, que morreu no dia 19 de Dezembro de 2009. Um exemplo de estatura moral e intelectual em vida, Manuel Gonçalves foi também um exemplo na hora da morte ao doar o corpo ao Instituto de Medicina Legal do Porto, para apoio à ciência. Julgo de inteira justiça recordá-lo, neste espaço, no momento em que o NC comemora mais um ano de existência.
“Manuel Gonçalves era um dos melhores, senão o melhor de todos nós, os que o conhecemos há mais de vinte anos. Inteligente, perspicaz, culto de nos fazer inveja, frontal, daquela frontalidade difícil que sabe evitar a má-criação, corajoso e homem de lutas, pela verdade, pela liberdade, contra a santa hipocrisia instalada por aí a eito. Manuel Gonçalves nunca escondeu nem titubeou na hora de lutar pelas suas convicções, criou por isso alguns anticorpos (‘é o lado para onde durmo melhor’, dizia) que na hora da sua morte são bem capazes de lhe chorar lágrimas de crocodilo”, assim escreveu o NC no dia 22 de Dezembro de 2009.

[22-06-2010 - 09:55] [Manuel Tinoco]

::. Mais Notícias desta Secção
Total Notícias: 2
 

VISITA À COMUNIDADE COURENSE NO CANADÁ
RANCHO FOLCLÓRICO DO MINHO EM TORONTO
A convite dos meus amigos de Castanheira que labutam em Toronto, no Canadá, desloquei-me àquele local para passar um fim-de-semana em beleza junto dos meus queridos conterrâneos e não só, mas também de muitos mais terras vizinhas de Coura, num convívio tipicamente minhoto que jamais esquecerei.

[04-08-2015 - 17:13] [José Rodrigues]


LER MAIS

ANTIGO PRESIDENTE DE ROMARIGÃES
Paredes de Coura perde autarca histórico do pós 25 de Abril
António João Gonçalves foi eleito presidente da junta de freguesia de Romarigães logo após a revolução dos cravos. Como cabeça de lista dos sociais-democratas, no início sob a sigla PPD e posteriormente sob a denominação e sigla actual-PSD, foi vencendo consecutivas eleições até 2001, altura em que, após inédita candidatura encabeçando as listas socialistas, viria a ser derrotado e consequentemente afastado da liderança dos destinos da freguesia Conhecedor como poucos dos meandros da política local, caminhou habilidosamente pelos seus bastidores, com habilidade natural e um estilo de liderança forte, foi granjeando o apreço de companheiros de hostes partidárias e o respeito e temor dos seus adversários políticos, diz quem melhor o conheceu que, variadíssimas vezes, uns e outros, terão recorrido ao seu aconselhamento. Essencialmente a ele se terá devido o enquadramento político que levaria Romarigães à denominação, hoje em nítido desuso, de “Cavaquistão”.

[04-08-2015 - 14:24] [Manuel Tinoco]


LER MAIS

 

:: Opinião
Quotidianos
Tal como num palco de grandes espetáculos, Paredes de Coura viveu um mês de julho bem intenso. A 9 de julho, o município de Coura foi eleito município do ano, na categoria de territórios com menos de vinte mil habitantes, em cerimónia promovida pela UMinho-Cidades.
LER MAIS
:: Opinião
O SENHOR DO AMPARO (I)
O Senhor do Amparo é meu vizinho, visto a sua capela ficar perto da minha casa, apesar de se situar em território da freguesia de Linhares. É uma capela ampla, de construção simples, da qual não conheço referências escritas, sobre a sua fundação, que me pudessem servir de suporte para fazer o seu historial. Embora, pelo seu estilo arquitectónico, me pareça ter sido construída em meados do século XIX. Segundo uma antiga crença popular, a imagem do Santo terá vindo do Santuário da Peneda, mas como esta proveniência é comum a santos de outros locais, nada sabemos sobre a veracidade desta hipótese.
LER MAIS
:: Opinião
O SOLDADO ZULMIRO
Sentia fixos em mim uns olhos suplicantes furando-me a camisa e as costelas. Suspendi o gesto de abrir a porta do carro e voltei-me. De facto, atrás de mim, morando nos olhos a humildade e a resignação, um homem negro olhava para mim em silêncio. Era alto e magro, vestia-se com limpeza mas via-se claramente que as roupas tinham em seu corpo demasiado tempo e a medida era curta para a sua estatura. Os ombros estavam descaídos ao longo do corpo num abandono total, apanágio de quem estava cansado de viver a mesma rotina há anos sem conta, enquanto as mãos exibiam aquele gesto de pedir mas sem nada dizer. Mas a limpidez de seu olhar impressionou-me. Havia nele uma história infindável que me deixou abalado.
LER MAIS
:: Opinião
Pensar futuro com olhos no passado
"Discriminação positiva para territórios com pouca população, promovendo o emprego de jovens e empregados de longa duração pela dispensa de contribuições das empresas por um período até 36 meses". Que lhe parece, caro leitor? Seja sincero. É ou não é uma medida que faz uma falta tremenda a Paredes de Coura? Pois claro que é. E esta medida, entre outras tão pertinentes ao nosso concelho, faz parte do programa eleitoral da coligação PSD/CDS-PP para as próximas eleições legislativas. Não. Não são apenas promessas. De nada vale já a retórica barata, populista e demagógica dos partidos mais à esquerda sobre o trabalho feito pelo Governo.
LER MAIS